Dicas sobre discos rígidos, gravação em NAS, Cloud e treinamento gratuito!

Dicas sobre discos rígidos, gravação em NAS, Cloud e treinamento gratuito!

Qual profissional de segurança eletrônica nunca se deparou com estas duvidas?

Você tem um cliente e existe a necessidade de uma forma de redundância de gravação das imagens do sistema!

Ok , falamos em redundância mas e seus discos locais são apropriados?

Entender que não só os discos de sua unidade NAS, dos servidores NUVEM devem ser desenvolvidos e atualizados para as altas resoluções podem trazer uma tranquilidade na hora de reproduzir suas imagens!

Assista nosso artigo sobre discos para tais aplicações e esclareça todas as suas duvidas!

Ja escrevemos sobre gravação em unidades NAS e sobre a propaganda do fim dos gravadores de vídeo por uma empresa na EXPOSEC 2018.

Na realidade são aplicações distintas mas sempre devemos considerar a gravação em nuvem como uma gravação em redundância, ou seja uma segunda forma de gravação com o objetivo de preservar as imagens em caso de violação do local principal de armazenamento.

Vamos a baixo listar alguns artigos sobre o assunto já publicados, começando pelos cálculos necessários para a infraestrutura do projeto

Calculando Bitrate e demais itens
Software para calculo de rede e disco

Ok mas como funciona o acesso a estes dispositivos?

Depende! cada fabricante de câmeras e gravadores disponibilizam diferentes formas de acesso que podem ser:

  • RTSP
  • SDK Ou API
  • NAS
  • Cloud de terceiros ( Google Drive, dropbox etc)

O que muda? Muita coisa!!

RTSP


Real Time Streaming Protocol (RTSP) é um protocolo a nível de aplicação desenvolvido pela IETF em 1998 com a RFC 2326para controle na transferência de dados com propriedades de tempo realRTSP torna possível a transferência, sob demanda, de dados em tempo real como áudio e vídeo. Ele serve para estabelecer e controlar um único ou vários streams sincronizados de mídias contínuas pertencentes a uma apresentação.Utiliza os protocolos TCP e UDP na porta 554.
O conjunto de streams a ser controlado é definido por uma descrição de apresentação, normalmente um arquivo, que pode ser obtido por um cliente usando HTTP ou outro meio como e-mail; e, pode não necessariamente estar armazenado em um servidor de mídia. Uma descrição de apresentação contém informações sobre um ou mais streams que compõe a apresentação, como endereços de rede e informações sobre o conteúdo da apresentação, além de parâmetros que tornam possível ao cliente escolher a combinação mais apropriada das mídias.

( fonte Wikipedia)

Vantagens:

  • Quase todos os dispositivos atuais possuem o protocolo RTSP
  • Não existe necessidade de Homologação na maioria das vezes

Desvantagens:

  • Velocidade do acesso
  • Segurança
  • Monitoramento e integrações com funções embarcadas indisponíveis nesse tipo de acesso.

SDK ou API

Neste caso o acesso é feito através da homologação do acesso aos dispositivos de acordo com as bibliotecas desenvolvidas pelo fabricante.

Vantagens:

  • Integração com recursos embarcados nos dispositivos tais como analíticos de vídeo
  • Integração com status de funcionamento e alertas gerados pelos dispositivos
  • Maior segurança e velocidade no acesso .

Desvantagens:

  • Necessidade de homologação pelas plataformas de gravação e monitoramento.
  • Atualizações do acesso de acordo com os upgrades de firmware.
NAS ou Storage

Conhecidos como NAS, Storage, RAID e por diversos nomes, este tipo de gravação utiliza um protocolo específico chamado NFS ( Networking File System) e segue um padrão de configuração e acesso tanto para gravação de arquivos de computador quanto para imagens de gravadores.

O que se faz necessário é a compatibilidade deste protocolo no gravador seja ele um DVR ou NVR.

A quase 2 anos escrevemos um artigo com tutorial sobre esta solução que é muito útil porem necessita de boa infraestrutura de rede e a torna a melhor solução para redundância no mesmo local ou REDE do Gravador e do Storage, porém devemos considerar a possibilidade de violação deste local e também pensarmos em uma gravação remota.

Assista nosso artigo sobre gravação em unidades de rede e nosso vídeo gravado no estande da Seagate.

Em nosso laboratório utilizamos uma unidade NAS Zyxel 540 e dispomos em nosso portal um treinamento gratuito sobre este equipamento e sua aplicação.

Gravação em Unidades NAS

Gravação em Cloud ( Nuvem)

Este é um dos assuntos que despertam as maiores dúvidas em nossas mídias e grupos e por isso acima descrevemos os principais protocolos e meios de acesso a DVRS, NVRs e câmeras IP.

Precisamos estudar antes de mais nada a infraestrutura do local, os riscos de exposição dos equipamentos e a melhor forma de ter uma opção de gravação em redundância no local.

Nosso mercado está sendo invadido por ” Plataformas” de gravação em Nuvem e entender o modo de acesso e protocolo aos dispositivos serve como base para que se decida qual a melhor solução.

A maioria das plataformas do mercado são desenvolvidas para acesso via RTSP e a cima já comentamos as vantagens e desvantagens desse tipo de acesso.

Entre nossas análises e feedbacks que recebemos em nossas mídias existe uma diferença enorme entre as plataformas, de um lado temos portais com ferramentas limonadas e soluções avançadas como é a plataforma Digifort Nuvem.

Quais as diferenças?

  • Versão Enterprise do VMS Digifort
  • Suporte a I/O integrados nas câmeras e Gravadores
  • Suporte a funções analíticas embarcadas nos dispositivos
  • Suporte a LPR e demais recursos avançados.
  • Aplicativo para Celular e Client para PC
  • Servidor Digifort virtualizado.

Acesse a baixo nosso artigo com WEBINAR e Live no Facebook sobre a plataforma.

Como descrevemos neste artigo, a infraestrutura, o modo de acesso aos dispositivos, o modelo de dispositivo NAS e plataforma para gravação em nuvem devem ser escolhidos e designados de acordo com a solução desejada para seu projeto, opte sempre por soluções profissionais e adequadas a fim de obter o melhor resultado.

Fuja de discos recondicionados, antigos e com procedência duvidosa!

Conte com nossa equipe pra auxiliar você e sua equipe nestes e em quaisquer assuntos relacionados à segurança eletrônica!

Este post tem um comentário

  1. Guilherme Francisco de Mello

    Muito bom os assuntos abordados.

    Abraços,
    Guilherme Mello

Deixe uma resposta